Esta é uma tradução da página original em Inglês.

A FSF anuncia a versão 21 do GNU Emacs

Uma versão em texto simples deste comunicado de imprensa está disponível.

PARA DIVULGAÇÃO IMEDIATA

Contato com a mídia: Free Software Foundation
Bradley M. Kuhn <pr@gnu.org>
Telefone: +1-617-542-5942

Boston, Massachusetts, EUA - segunda-feira, 22 de outubro de 2001 - A Free Software Foundation anunciou hoje a versão 21.1 do GNU Emacs. O Emacs é um editor de texto multilíngue de Software Livre, licenciado sob a Licença Pública Geral GNU (GNU GPL).

Richard Stallman disse: “O Emacs 21 é um grande avanço em nosso plano de longo prazo de levar o Emacs de um editor de texto programável para um processador de texto programável.”

O Emacs 21.1 inclui suporte a fontes proporcionais: os caracteres em uma linha podem ter largura variável e as linhas podem ter alturas variáveis. Ele também possui suporte à inclusão de imagens no texto. O Emacs 21.1 inclui vários novos recursos da interface do usuário: possui barras de ferramentas para executar comandos frequentemente usados, possui suporte a barras de rolagem nativas, exibe dicas de ferramentas e possui uma linha de modo sensível ao mouse. Mesmo em terminais somente texto, o Emacs 21.1 possui suporte a cores e outros atributos de exibição.

Com o lançamento da versão 21.1, o código-fonte de desenvolvimento do Emacs está acessível por meio de CVS anônimo de http://savannah.gnu.org/projects/emacs/. Os serviços de CVS anônimo são fornecidos pelo Savannah, o sistema do GNU para colaboração de projeto no estilo do SourceForge.

O GNU Emacs 21.1 pode ser baixado do diretório de FTP em http://ftp.gnu.org/gnu/emacs/. Porém, usuários são encorajados a usar sites espelhos para downloads, para reduzir a carga nos servidores do GNU ou da FSF. Uma lista de espelhos pode ser encontrada em http://www.gnu.org/order/ftp.html.

O GNU Emacs 21.1 já foi empacotado para o Debian. Usuários do ramo instável do Debian GNU/Linux podem instalar o GNU Emacs 21 através do sistema Debian APT nativo.

Sobre o GNU Emacs:

O Emacs é o editor de exibição em tempo real extensível, personalizável e autodocumentável.

Se isso parece um pouco exagerado, uma explicação mais fácil é que o Emacs é um editor de texto e muito mais. Em sua essência, existe um interpretador para o Emacs Lisp, um dialeto da linguagem de programação Lisp com extensões para suportar a edição de texto.

Alguns dos recursos do GNU Emacs incluem:

História do Emacs:

Richard Stallman desenvolveu o editor de texto original do Emacs em 1975, enquanto trabalhava no MIT. O Emacs, desenvolvido pela primeira vez em 1975, é um editor de texto extensível que permite ao usuário programar comandos de edição. O Emacs original usava o TECO como a linguagem de programação do usuário. O GNU Emacs, que usa Lisp como a linguagem de programação do usuário, foi iniciado em setembro de 1984 como parte do desenvolvimento do sistema operacional GNU.

O Emacs passou por um desenvolvimento contínuo desde então e foi aprimorado com base nos relatórios de erros do usuário e nas contribuições da comunidade de Software Livre. O Emacs 19 adicionou suporte para vários quadros usando o X Windowing System. O Emacs 20 adicionou suporte multilíngue.

Sobre o GNU:

GNU é um sistema operacional semelhante ao Unix, mas Software Livre. O desenvolvimento do GNU foi iniciado em 1984 http://www.gnu.org/gnu/the-gnu-project.html fornece mais informações sobre o GNU e sua história.

GNU/Linux é a combinação integrada do sistema operacional GNU com o kernel, Linux, escrito por Linus Torvalds em 1991. As várias versões do GNU/Linux têm cerca de 20 milhões de usuários.

Algumas pessoas chamam o sistema GNU/Linux apenas de “Linux”, mas este nome incorreto leva à confusão (as pessoas não sabem se você se refere ao sistema completo ou ao kernel, uma parte) e propaga uma visão imprecisa de como, quando e porque o sistema foi desenvolvido. Fazer uma distinção consistente entre o GNU/Linux, o sistema operacional completo, e o Linux, o kernel, é a melhor maneira de clarear a confusão. Veja http://www.gnu.org/gnu/linux-and-gnu.html para mais explicações.