English [en]   العربية [ar]   Deutsch [de]   español [es]   فارسی [fa]   français [fr]   hrvatski [hr]   italiano [it]   日本語 [ja]   lietuvių [lt]   polski [pl]   português do Brasil [pt-br]   română [ro]   русский [ru]   slovenčina [sk]   українська [uk]   简体中文 [zh-cn]  

This is a translation of an original page in English.

Distros GNU/Linux

Distribuições livres do sistema GNU/Linux (ou “distros”) incluem e sugerem apenas software livre. Elas rejeitam aplicações não-livres, plataformas de programação não-livres, drivers não-livres, firmware “blobs1” não-livres, e qualquer outro software ou documentação não-livre. Se elas descobrem que por engano incluíram software assim, elas o removem.

Distros GNU/Linux Livres

Recomendamos que você use uma distribuição livre do sistema GNU/Linux, uma que não inclua software proprietário algum. Dessa maneira, você poderá ter certeza de que não está instalando nenhum programa não-livre. Aqui está nossa lista dessas distros:
Distribuições GNU/Linux livres.

Todas as distros existentes precisam de mais ajuda no desenvolvimento. Portanto, se você deseja efetivamente contribuir para uma distribuição GNU/Linux livre, sugerimos que você se junte ao desenvolvimento de uma distro livre existente, ao invés de criar a sua própria.

Diretrizes para Distros Livres

Listamos aqui problemas que podem prevenir que uma distro seja considerada completamente livre:
Diretrizes para distribuição de sistemas livres.

Distros Comuns

Muitas distribuições GNU/Linux comuns e conhecidas não satisfazem nossas diretrizes. Você pode ler sobre os problemas dessas distribuições aqui:
Por que não podemos endossar muitas das distros GNU/Linux conhecidas.

Nós apelamos aos desenvolvedores dessas distribuições que removam as partes não-livres, de modo a torná-las completamente software livre.

Liberdade Opcional não é Suficiente

Algumas distribuições de GNU/Linux dão ao usuário a opção de instalar apenas software livre. Para mais informações, você pode ler:
Por que liberdade opcional não é suficiente.

Por Que Isso É Importante?

Quando uma distro GNU/Linux inclui software não-livre, causa dois tipos de problemas:

O primeiro problema é direto: ele afeta os usuários da distribuição se eles instalam software não-livre. No entanto, o segundo problema é o mais importante, porque afeta a comunidade como um todo.

Os desenvolvedores de distros não-livre não dizem: “Pedimos desculpas pelos componentes não-livres em nossa distribuição. Não sabemos o que nos possuiu para que incluíssemos eles. Esperamos que em nossa próxima versão iremos manter em mente a liberdade”. Se eles o fizessem, teriam uma influência menos ruim.

Em vez disso, eles geralmente apresentam o software não-livre em seus sistemas como uma característica positiva; dizem que seu objetivo é “a melhor experiência de usuário possível”, ou algo assim, ao invés de liberdade. Em outras palavras, eles levam as pessoas a colocarem conveniência acima da liberdade — trabalhando diretamente contra nossa campanha para fazer da liberdade o objetivo primário.

Não endossamos essas distros pelo fato de que elas não transmitem a liberdade. O que nos deixa seriamente preocupados é que elas ensinam as pessoas a não valorizar a liberdade.

Notas do tradutor:
  1. Para uma explicação do termo “blob”, confira essa página da Wikipédia.

 [Logo da FSF] “Nossa missão é preservar, proteger e promover a liberdade de usar, estudar, copiar, modificar e redistribuir software, e defender os direitos dos usuários de Software Livre.”

A Free Software Foundation é a principal organização que patrocina o Sistema Operacional GNU. Suporte o GNU e a FSF comprando manuais e produtos, afiliando-se a FSF como um membro associado ou fazendo uma doação diretamente à FSF ou via Flattr.

Voltar ao topo