Esta é uma tradução da página original em Inglês.

Software da Microsoft é malware


O software não livre (privativo) é muitas vezes um malware (projetado para maltratar o usuário). O software não livre é controlado por seus desenvolvedores, o que os coloca em uma posição de poder sobre os usuários; isso é a injustiça básica. Os desenvolvedores e fabricantes muitas vezes exercem esse poder em detrimento dos usuários aos quais eles deveriam servir.

Isso geralmente assume a forma de funcionalidades maliciosas.


Se você conhece um exemplo que deveria estar nesta página, mas não está aqui, por favor, escreva para <webmasters@gnu.org> para nos informar. Por favor, inclua a URL de uma ou duas referências confiáveis para servir como comprovação específica.

Backdoors

DRM

Gestão digital de restrições, ou “DRM”, refere-se a funcionalidades projetadas para restringir o que usuários podem fazer com os dados em seus computadores.

  • 2019-04

    E-books “comprados” da loja da Microsoft verificam se seu DRM é válido conectando-se à loja toda vez que o “dono” quer lê-los. A Microsoft fechará esta loja, inutilizando todos os e-books sob DRM que já “vendeu”. (O artigo também destaca as armadilhas do DRM.)

    Esta é outra prova de que um produto com DRM não pertence à pessoa que o comprou. A Microsoft disse que reembolsará os clientes, mas isso não é desculpa para vendê-los livros restritos.

  • 2007-08

    DRM no Windows, introduzido para atender a discos de Bluray. (O artigo fala sobre como o mesmo malware seria posteriormente introduzido no MacOS. Isso não tinha sido feito na época, mas foi feito posteriormente.)

Insegurança

Esses bugs não são/foram intencionais; portanto, ao contrário do resto do arquivo, eles não contam como malware. Nós os mencionamos para refutar a suposição de que software privativo de prestígio não contém bugs graves.

Interferência

Esta seção fornece exemplos de softwares da Microsoft que incomodam ou irritam o usuário ou que causam problemas para o usuário. Essas ações são como sabotagem, mas a palavra “sabotagem” é muito forte para eles.

Sabotagem

Os erros nesta seção não são exatamente malware, uma vez que não envolvem fazer o programa ser executado de uma forma que prejudique o usuário. Mas eles são muito parecidos com malware, já que são ações técnicas da Microsoft que prejudicam os usuários de softwares específicos da Microsoft.

Assinaturas

Vigilância

Amarrações

Amarrações são funcionalidades que exigem conexão permanente (ou muito frequente) a um servidor.

Prisões

Prisões são sistemas que impõem censura a programas.

Tiranos

Tiranos são sistemas que rejeitam qualquer sistema operacional não “autorizado” pelo fabricante.

Como mostra esta página, se você quiser limpar o malware do seu computador, o primeiro software a ser excluído é o Windows.