English [en]   العربية [ar]   български [bg]   català [ca]   Česky [cs]   Deutsch [de]   ελληνικά [el]   español [es]   فارسی [fa]   français [fr]   עברית [he]   hrvatski [hr]   Bahasa Indonesia [id]   italiano [it]   日本語 [ja]   한국어 [ko]   മലയാളം [ml]   Nederlands [nl]   polski [pl]   português do Brasil [pt-br]   română [ro]   русский [ru]   slovenščina [sl]   Shqip [sq]   српски [sr]   தமிழ் [ta]   Tagalog [tl]   українська [uk]   简体中文 [zh-cn]   繁體中文 [zh-tw]  

Thanks to your support, 2015 marks 30 years of the FSF! In the next 30 years, we want to do even more to defend computer user rights. To kick off in that direction, we're setting our highest-ever fundraising goal of $525,000 by January 31st. Read more.

$525K
28% (145K)
Count me in

This translation may not reflect the changes made since 2001-11-19 in the English original. Please see the Translations README for information on maintaining translations of this article.

Linux e o Sistema GNU

por Richard Stallman

Muitos usuários de computador utilizam uma versão modificada do sistema GNU todos os dias, sem perceberem. Através de uma peculiar reviravolta dos fatos, a versão do GNU que é largamente utilizada hoje é mais conhecida como “Linux”, e muitos usuários não estão a par de sua conexão com o Projeto GNU.

Há realmente um Linux; é o núcleo (kernel), e essas pessoas estão utilizando-o. Mas você não pode usar um núcleo sozinho; um núcleo só é útil como parte de todo um sistema operacional. Linux é normalmente utilizado em combinação com o sistema operacional GNU: o sistema é basicamente GNU, com Linux funcionando como núcleo.

Muitos usuários não estão totalmente a par da diferença entre o núcleo, que é o Linux, e todo o sistema operacional, que eles também chamam “Linux”. O uso ambíguo desse nome não promove o entendimento.

Programadores geralmente sabem que Linux é o núcleo. Mas desde que eles também já ouviram todo o sistema ser chamado “Linux”, eles muitas vezes visualizam uma história que corresponde ao nome. Por exemplo, muitos acreditam que, assim que Linus Torvalds terminou de escrever o núcleo, seus amigos procuraram por outros programas livres e, por nenhuma razão em particular, praticamente tudo necessário para criar um sistema similar ao Unix já estava disponível.

O que eles acharam não foi nenhum acidente – foi o sistema GNU. O software livre disponível compôs um sistema completo porque o Projeto GNU já estava trabalhando desde 1984 para criar um. O Manifesto GNU definiu o objetivo de criar um sistema livre similar ao Unix, chamado GNU. O Anúncio Oficial do sistema GNU também ressalta alguns dos planos originais para o sistema GNU. Quando o Linux foi escrito, o sistema já estava quase acabado.

A maioria dos projetos de software livre tem por objetivo desenvolver um programa em particular para uma tarefa em particular. Por exemplo, Linus Torvalds escreveu um núcleo similar ao Unix (Linux); Donald Knuth escreveu um formatador de textos (TeX); Bob Scheifler escreveu um sistema de janelas (o X Window System). É natural medir a contribuição deste tipo de projeto pelos programas específicos que vieram daquele projeto.

Se tentássemos medir a contribuição do projeto GNU dessa forma, o que concluiríamos? Um distribuidor de CD-ROM percebeu que em sua “distribuição Linux”, software GNU era o maior contingente único, por volta de 28% de todo o código-fonte, e isso incluía alguns dos componentes essenciais sem os quais não poderia haver sistema. O Linux representava por volta de 3%. Assim, se você for escolher um nome para o sistema baseado em quem escreveu os programas no sistema, a escolha simples mais apropriada seria “GNU”.

Mas nós não concordamos que esta é a maneira correta de considerar a questão. O projeto GNU não foi, não é, um projeto para desenvolver pacotes específicos de software. Não foi um projeto para desenvolver um compilador C, apesar de o termos feito. Não foi um projeto para desenvolver um editor de textos, apesar de termos desenvolvido um. O objetivo do Projeto GNU era desenvolver um sistema operacional livre similar ao Unix.

Muitas pessoas fizeram grandes contribuições para o software livre no sistema, e todos eles merecem crédito. Mas a razão pela qual temos um sistema – e não somente uma coleção de programas úteis – é porque o Projeto GNU se definiu para fazer um. Nós fizemos uma lista de programas necessários para compor um sistema livre completo, e nós sistematicamente achamos, escrevemos, ou encontramos pessoas para escrever tudo na lista. Nós escrevemos componentes principais, essenciais mas não excitantes, como o montador (assembler) e o editor de ligação (linker), porque não é possível ter um sistema sem eles. Um sistema completo necessita mais do que simplesmente ferramentas de programação; o Bourne Again SHell, o interpretador PostScript Ghostscript, e a biblioteca GNU C são igualmente importantes.

Por volta do início dos anos 90 nós agrupamos todo o sistema à parte do núcleo (e nós ainda estamos trabalhando em um kernel, o GNU Hurd, que executará em cima do Mach). Desenvolver esse núcleo tem sido bem mais difícil do que esperávamos, e nós ainda estamos trabalhando em sua finalização..

Felizmente, você não precisa esperar por ele, porque o Linux está funcionando agora. Quando Linus Torvalds escreveu o Linux, ele completou a última grande lacuna. Pessoas puderam então colocar o Linux junto com o sistema GNU para compor um sistema livre completo: um sistema GNU baseado em Linux (ou sistema GNU/Linux, para simplificar).

Colocar os dois componentes juntos parece simples, mas não foi uma tarefa trivial. A biblioteca GNU C (chamada glibc para simplificar) precisou de mudanças substanciais. Integrar um sistema completo como uma distribuição que funcionasse “fora da caixa” foi também um trabalho grande. Requeriu resolver o problema de como instalar e iniciar o sistema (boot) - um problema que ainda não resolvemos, porque ainda não atingimos esse ponto. As pessoas que desenvolveram as várias distribuições de sistema deram uma contribuição substancial.

O Projeto GNU suporta os sistemas GNU/Linux assim como o sistema GNU - mesmo com fundos. Nós financiamos a reescrita das extensões da biblioteca GNU C relacionadas ao Linux, para que agora elas estejam bem integradas, e os novos sistemas GNU/Linux usam a versão corrente da biblioteca sem modificações. Nós também financiamos um estágio inicial do desenvolvimento do Debian GNU/Linux.

Nós utilizamos sistemas GNU baseados em Linux hoje para a maioria do nosso trabalho, e nós esperamos que você também os use. Mas por favor não confunda o público por utilizar o nome “Linux” de forma ambígua. Linux é o núcleo, um dos principais componentes essenciais do sistema. O sistema como um todo é mais ou menos o sistema GNU.

À parte do GNU, um outro projeto desenvolveu um sistema livre similar ao Unix. Este sistema é conhecido como BSD, e foi desenvolvido na Universidade da Califórnia em Berkeley. Os desenvolvedores do BSD foram inspirados a fazer seu trabalho como software livre seguindo o exemplo do Projeto GNU, e ocasionalmente encorajaram os ativistas do GNU, mas seu trabalho real teve pouca relação com o GNU. Sistemas BSD hoje utilizam algum software GNU, assim como o sistema GNU e suas variantes utilizam algum software BSD, mas, olhando-os como um todo, eles são dois sistemas diferentes que evoluíram separadamente. Um sistema operacional livre que existe hoje é quase com certeza ou uma variante do sistema GNU ou um tipo de sistema BSD.

 [Logo da FSF] “Nossa missão é preservar, proteger e promover a liberdade de usar, estudar, copiar, modificar e redistribuir software, e defender os direitos dos usuários de Software Livre.”

A Free Software Foundation é a principal organização que patrocina o Sistema Operacional GNU. Suporte o GNU e a FSF comprando manuais e produtos, afiliando-se a FSF como um membro associado ou fazendo uma doação diretamente à FSF ou via Flattr.

Voltar ao topo