English [en]   العربية [ar]   català [ca]   Česky [cs]   Deutsch [de]   ελληνικά [el]   español [es]   français [fr]   Bahasa Indonesia [id]   italiano [it]   日本語 [ja]   Nederlands [nl]   polski [pl]   português do Brasil [pt-br]   română [ro]   русский [ru]   slovenščina [sl]   српски [sr]   தமிழ் [ta]   Türkçe [tr]  

Thanks to your support, 2015 marks 30 years of the FSF! In the next 30 years, we want to do even more to defend computer user rights. To kick off in that direction, we're setting our highest-ever fundraising goal of $525,000 by January 31st. Read more.

$525K
30% (161K)
Count me in

This translation may not reflect the changes made since 2002-08-26 in the English original. Please see the Translations README for information on maintaining translations of this article.

Categorias de softwares livres e não-livres

Veja também Palavras confusas que você poderia evitar.

Este diagrama de Chao-Kuei explica as diferentes categorias de software. Está disponível nos formatos SVG e XFig, sob os termos de qualquer das seguintes licenças: GNU GPL (v2 ou posterior), GNU FDL (v1.2 ou posterior) ou Creative Commons Atribuição-CompartilhaIgual (v2.0 ou posterior).

Software livre (free software)

Software livre é software que vem com permissão para qualquer um copiar, usar e distribuir, com ou sem modificações, gratuitamente ou por um preço. Em particular, isso significa que o código fonte deve estar disponível. “Se não é fonte, não é software”. Esta é uma definição simplificada; veja também a definição completa.

Se um programa é livre, ele pode potecialmente ser incluido em um sistema operacional livre, como o GNU, ou versões livres como o sistema GNU/Linux.

Existem muitas diferentes maneiras de se fazer um programa livre – muitos detalhes que poderiam ser resolvidos em mais de uma maneira, e que ainda tornariam o programa livre. Algumas das possíveis variações são descritas abaixo.

Software livre é uma questão de liberdade, não preço [em inglês: free software is a matter of freedom, not price]. Mas empresas de software proprietários às vezes usam o termo “software livre” [free software] para referir-se ao preço. Algumas vezes eles querem dizer que você pode obter uma cópia binária sem nenhum custo; algumas vezes querem dizer que uma cópia está incluida no computador que você está comprando. Isso não tem nada a ver com o que nós queremos dizer com software livre no projeto GNU.

Devido a essa potencial confusão, quando uma empresa de software disser que seu produto é software livre, sempre verifique os termos de distribuição para ver se os usuários realmente possuem todas as liberdades que o software livre implica. Às vezes o software é mesmo livre; às vezes, não é.

Muitas linguagens possuem duas palavras diferentes para “livre” como em liberdade e “livre” como em preço zero [“free” as in freedom and “free” as in zero price]. Por exemplo, o francês tem libre e gratuit. O inglês tem uma palavra gratis que se refere sem ambiguidade ao preço, mas não existe um adjetivo comum que se refira sem ambiguidade à liberdade. Isso é uma infelicidade, pois esta palavra seria útil aqui. Veja a nossa lista de traduções do termo “software livre” para várias outras línguas.

Software livre é frequentemente mais confiável do que softwares não-livres.

Código aberto (open source)

O termo “código aberto” é usado por algumas pessoas para dizer mais ou menos a mesma coisa que software livre. Nós preferimos o termo “software livre”; siga o link para ver as razões.

Domínio público

Software no domínio público é software não sujeito a copyright. Este é um caso especial de software livre sem copyleft, o que significa que algumas cópias ou versões modificadas podem não ser livres.

Algumas vezes pessoas usam o termo “domíno público” de uma forma imprecisa para dizer “livre” ou “disponível gratuitamente” . No entanto, “domínio público” é um termo legal e significa, precisamente, “sem copyright”. Por claridade, recomendamos usar o termo “domínio público” para este significado apenas, e usar outros termos para transmitir os outros significados.

Software com copyleft

O software com copyleft é um software livre cujos termos de distribuição não permite que redistribuidores incluam restrições adicionais quando eles redistribuem ou modificam o software. Isto significa que toda cópia do software, mesmo que tenha sido modificada, precisa ser software livre.

No projeto GNU, nós distribuímos sob copyleft praticamente todo software que escrevemos, pois nosso objetivo é dar a todo usuário as liberdades que o termo “software livre” implica. Veja o nosso artigo sobre copyleft para maior explicação sobre como o copyleft funciona e por que o usamos.

Copyleft é um conceito geral; para realmente proteger um programa com copyleft, você precisa usar um conjunto específico de termos de distribuição. Existem muitas possíveis maneiras de se escrever esses termos de distribuição, então em princípio podem haver muitas licenças de software livre do tipo copyleft. No entanto, na prática quase todo software com copyleft usa a Licença Pública Geral GNU. Duas licenças diferentes do tipo copyleft normalmente são “incompatíveis”, o que significa que é ilegal a união de código usando uma das licenças a código usando a outra lecença; portanto, é bom para a comunidade que as pessoas usem uma única licença copyleft.

Software livre sem copyleft

Software livre sem copyleft vem do autor com permissão para redistribuir e modificar, e também para incluir restrições adicionais a ele.

Se um programa é livre mas não distribuído sob copyleft, algumas cópias ou versões modificadas podem não ser software livre. Uma empresa de software pode compilar o programa, com ou sem modificações, e distribuir o arquivo executável na forma de um produto proprietário.

O X Window System ilustra isso. O X Consortium lança o X11 com termos de distribuição que o torna software livre sem copyleft. Se você desejar, pode obter uma cópia com esses termos e que é livre. No entanto, também existem versões não livres, e existem estações de trabalho e placas gráficas populares para as quais as versões não livres são as únicas que funcionam. Se você estiver usando este hardware, o X11 não é livre para você.

Software coberto pela GPL

A GNU GPL (General Public License) é umconjunto de termos de distribuição específico para aplicar copyleft a um programa. O Projeto GNU a utiliza como termos de distribuição para a maior parte do software GNU.

O sistema GNU

O sistema GNU é um sistema operacional livre completo, estilo Unix.

Um sistema operacional estilo Unix consiste de muitos programas. O sistema GNUinclui todo o software GNU, bem como muitos outros pacotes como o X Window System e TeX, que não são software GNU.

Nós estamos desenvolvendo e acumulando componentes para o sistema GNU desde 1984; a primeira versão de testes de um “sistema GNU completo” foi em 1996. Hoje, em 2001, o sistema está funcionando de maneira confiável, e pessoas estão trabalhando no sistema GNOME, e ppp trabalha nele. Nesse meio tempo, o sistema GNU/Linux, um descendente do sistema GNU que usa o Linux como kernel, se tornou um grande sucesso.

Como o propósito do GNU é ser livre, todo componente no sistema operacional GNU é software livre. Eles não precisam ser todos distribuído sob copyleft, porém; qualquer tipo de software livre é legalmente apropriado para inclusão se ajudar a atender requisitos técnicos.

Programas GNU

“Programas GNU” é equivalente a software GNU. Um programa Foo é um programa GNU se for software GNU.

Software GNU

Software GNU é um software lançado com apoio do Projeto GNU. Se um programa é software GNU, nós também dizemos que é um programa GNU.

A maior parte do software GNU é distribuído sob copyleft, mas nem todo; contudo, todo software GNU deve ser software livre.

Algum software GNU foi escrito pela equipe da Free Software Foundation, mas a maior parte do software GNU é contribuição de voluntários. Algumas contribuições possuem copyright da Free Software Foundation; outras possuem copyright do contribuidor que o escreveu.

Software proprietário (ou não-livre)

Software proprietário (não-livre) é aquele que não é livre. Seu uso, redistribuição ou modificação é proibido, ou requer que você peça permissão, ou é restrito de tal forma que você não possa efetivamente fazê-lo livremente.

A Free Software Foundation segue a regra de que não podemos instalar qualquer programa proprietário em nossos computadores, exceto temporariamente para o propósito específico de escrever um substituto livre para aquele mesmo programa. Além dessa, achamos que não há justificativa possível para instalar um programa proprietário.

Por exemplo, nós achamos justificável instalar Unix em nosso computador nos anos 80, por que o estávamos usando para escrever um substituto livre para Unix. Hoje em dia, que um sistema operacional livre está disponível, a desculpa não é mais aplicável; nós eliminamos todos nossos sistemas operacionais não-livres, e qualquer novo computador que instalamos precisa rodar um sistema operacional completamente livre.

Nós não insistimos que os usuários do GNU, ou contribuidores do GNU, tenham que viver com essa regra. Essa é uma regra que fizemos para nós mesmos. Mas esperamos que você decida seguí-la também.

Freeware

O termo “freeware” não possui uma definição clara e aceita, mas é muito usada para pacotes que permitem redistribuição mas não modificação (e seu código fonte não está disponível). Estes pacotes não são software livre, portanto não use “freeware” para referir-se a software livre.

Shareware

Shareware é software que vem com permissão para redistribuir cópias, mas diz que qualquer um que continue usando uma cópia deve pagar por uma licença.

Shareware não é software livre, ou mesmo semi-livre. Existe duas razões para isso:

Software comercial

“Comercial” e “proprietário” não são a mesma coisa! Software comercial é software sendo desenvolvido por uma empresa que procura ter lucro através do uso do software. A maior parte do software comercial é proprietária, mas existem softwares livres comerciais, e softwares não-comerciais e não-livres.

Por exemplo, o GNU Ada é sempre distribuído sob os termos da GNU GPL, e toda cópia é software livre; mas seus desenvolvedores vendem contratos de suporte. Quando seus vendedores falam com clientes em potencial, algumas vezes os clientes dizem, “Nós nos sentiríamos mais seguros com um compilador comercial”. Os vendedores respondem, “GNU Ada é um compilador comercial, apenas acontece de ser um software livre”.

Para o Projeto GNU, a ênfase é de outra ordem: o importante é que o GNU Ada é software livre; se é comercial, não é uma questão crucial. No entanto, o desenvolvimento adicional do GNU Ada que resulta do mesmo ser comercial é definitivamente benéfico.

Por favor, ajude-nos a divulgar o fato de que software comercial livre é possível. Você pode fazer isso através de um esforço de não dizer “comercial” quando quer dizer “proprietário”.

 [Logo da FSF] “Nossa missão é preservar, proteger e promover a liberdade de usar, estudar, copiar, modificar e redistribuir software, e defender os direitos dos usuários de Software Livre.”

A Free Software Foundation é a principal organização que patrocina o Sistema Operacional GNU. Suporte o GNU e a FSF comprando manuais e produtos, afiliando-se a FSF como um membro associado ou fazendo uma doação diretamente à FSF ou via Flattr.

Voltar ao topo