English [en]   العربية [ar]   български [bg]   català [ca]   Česky [cs]   Deutsch [de]   español [es]   فارسی [fa]   français [fr]   עברית [he]   hrvatski [hr]   Bahasa Indonesia [id]   italiano [it]   日本語 [ja]   Nederlands [nl]   polski [pl]   português do Brasil [pt-br]   română [ro]   русский [ru]   српски [sr]   தமிழ் [ta]   Türkçe [tr]   українська [uk]   简体中文 [zh-cn]  

Thanks to your support, 2015 marks 30 years of the FSF! In the next 30 years, we want to do even more to defend computer user rights. To kick off in that direction, we're setting our highest-ever fundraising goal of $525,000 by January 31st. Read more.

$525K
26% (138K)
Count me in

This translation may not reflect the changes made since 2002-05-02 in the English original. Please see the Translations README for information on maintaining translations of this article.

Software Livre e Manuais Livres

Junte-se à nossa lista de discussão sobre os perigos dos livros eletrônicos (eBooks).

A maior deficiência em sistemas operacionais livres não é o software – é a falta de bons manuais livres que podemos incluir com esses sistemas. Muitos dos nossos programas mais importantes não vêm com manuais completos. Documentação é uma parte essencial de qualquer pacote de software; quando um pacote de software livre importante não vem com um manual livre, isso é um grande buraco. Hoje, nós temos muitos buracos assim.

Uma vez, muitos anos atrás, eu pensei que ia aprender Perl. Peguei uma cópia de um manual livre, mas achei difícil de ler. Quando perguntei usuários de Perl sobre alternativas, eles me disseram que existiam manuais introdutórios melhores – mas que não eram livres.

Por quê seria assim? Os autores dos bons manuais os tinham escrito para O'Reilly Associates, que os publicou com termos restritivos – era proibido copiar, modificar, arquivos-fonte não disponíveis – o que os exclui da comunidade do software livre.

Essa não foi a primeira vez que esse tipo de coisa aconteceu, e (para o grande prejuízo da nossa comunidade), estava longe de ser a última. Editoras de manuais proprietários seduziram muitos autores a restringir seus manuais desde então. Várias vezes já ouvi usuários de GNU animadamente me contar sobre um manual que eles estavam escrevendo, com o qual eles esperam ajudar o projeto GNU – e então perder minhas esperanças, quando eles me explicavam que haviam assinado um contrato com uma editora que restringiria o manual, de tal maneira que não podéssemos usá-lo.

Já que boa escrita em Inglês é uma habilidade rara entre programadores, nós não podemos perder manuais dessa maneira.

Documentação livre, assim como software livre, é uma questão de liberdade, não de preço. O problema com esses manuais não foi que O'Reilly Associates cobrava um preço por cópias impressas – isso, por si só, não tem problema. (A Fundação para o Software Livre também vende cópias impressas de manuais GNU livres) . Porém, manuais GNU também estão disponíveis em forma de código-fonte, enquanto esses manuais só estão disponíveis em papel. Manuais GNU vêm com permissão para copiar e modificar; os manuais de Perl não vêm. Essas restrições são os problemas.

O critério para um manual livre é o mesmo que software livre: é uma questão de dar a todos usuários certas liberdades. Redistribuição (incluindo redistribuição comercial) deve ser permitida, para que o manual possa acompanhar todas as cópias do programa, on-line, ou em papel. Permissão para modificação também é crucial.

Como regra geral, eu não acredito que seja essencial que as pessoas tenham permissão para modificar todo tipo de artigos e livros. As questões de escrita não são necessariamente as mesmas que as de software. Por exemplo, eu não acho que você ou eu somos obrigados a dar permissão para modificar artigos como este, que descreve nossas ações e opiniões.

Porém, existe um motivo particular pelo qual a liberdade de modificar é crucial para documentação de software livre. Quando as pessoas exercem seu direito de modificar software, e adicionar ou mudar seus recursos, se elas forem conscientes, elas vão modificar o manual também – para fornecer documentação precisa e usável com o programa modificado.

Enquanto uma proibição completa contra a modificação é inaceitável, certos tipos de limites no método de modificação não criam nenhum problema. Por exemplo, exigências de preservar o copyright do autor original, os termos da distribuição, ou a lista de autores, são OK. Também não é problema exigir que versões modificadas incluam um aviso que foram modificadas, e até ter seções inteiras que não possam ser deletadas ou modificadas, contanto que essas seções tratem de assuntos não-técnicos. (Alguns manuais GNU as têm)

Esses tipos de restrição não são um problema porque, na prática, eles não impedem o programador consciente de adaptar o manual para o programa modificado. Em outras palavras, eles não impedem a comunidade do software livre de aproveitar completamente o manual.

Porém, deve ser possível modificar todo o conteúdo técnico do manual, e daí distribuir o resultado por todos os meios usuais, através de todos os canais usuais; senão, as restrições obstruem a comunidade, o manual não é livre, e nós precisamos de outro manual.

Infelizmente, é freqüentemente difícil encontrar alguém para escrever outro manual quando um manual proprietário já existe. O obstáculo é que muitos usuários pensam que um manual proprietário é bom o suficiente – então eles não vêem a necessidade de escrever um manual livre. Eles não vêem que o sistema operacional livre tem um buraco que precisa ser preenchido.

Porque será que os usuários pensam que manuais proprietários são suficientement bons? Algumas pessoas ainda não consideraram essa questão. Espero que esse artigo contribuia para mudar isso.

Outros usuários consideram manuais proprietários aceitáveis pelo mesmo motivo que tantas pessoas consideram softwares proprietários aceitáveis: eles julgam em termos puramente imediatistas, sem usar liberdade como critério. Essas pessoas tem direito às suas opiniões, mas já que essas opiniões derivam de valores que não incluem a liberdade, elas não são guia nenhum para aqueles entre nós que valorizamos a liberdade.

Por favor, espalhe a palavra sobre essa questão. Nós continuamos a perder manuais para publicadores proprietários. Se nós espalharmos a noção de que manuais proprietários não são suficiente, talvez a próxima pessoa que queira ajudar GNU escrevendo documentação perceberá, antes que seja tarde demais, que ele deve sobre tudo fazê-lo livre.

Nós também podemos encorajar editoras comerciais a vender manuais livres, copylefted, ao invés de manuais proprietários. Uma maneira que você pode ajudar é checar os termos de distribuição de um manual antes de comprá-lo, e preferir manuais copylefted a manuais não-copylefted.

[Nota: Nós mantemos uma página que lista livros publicados não-FSF que são documentação livre].

 [Logo da FSF] “Nossa missão é preservar, proteger e promover a liberdade de usar, estudar, copiar, modificar e redistribuir software, e defender os direitos dos usuários de Software Livre.”

A Free Software Foundation é a principal organização que patrocina o Sistema Operacional GNU. Suporte o GNU e a FSF comprando manuais e produtos, afiliando-se a FSF como um membro associado ou fazendo uma doação diretamente à FSF ou via Flattr.

Voltar ao topo